Como fazer o Imposto de Renda de Pessoa Física 2020

IMPOSTO DE RENDA 2020

Todo ano o brasileiro precisa declarar o seu imposto de renda, tanto de pessoa física quanto jurídica. Mas para muitas pessoas declarar o imposto de renda é um bicho de sete cabeças.

Por isso, nesse post, vamos esclarecer como você faz a declaração do seu imposto de renda 2020 de pessoa física. Até agora para a declaração de imposto de renda 2020 a única mudança confirmada pela Receita foi o fim da dedução com gastos de empregado doméstico no imposto de renda.

Siga este passo a passo:

1. Confira se você é obrigado a declarar o imposto de renda

Está obrigada a apresentar a declaração a pessoa física que:

  • Recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70.
  • Seja um contribuinte que recebeu rendimentos isentos acima de R$ 40.000,00.
  • Obteve, em qualquer mês do ano passado, ganho de capital na venda de bens ou realizou operações na Bolsa de Valores.
  • Escolheu a isenção de Imposto na venda de um imóvel residencial para a compra de um outro imóvel até 180 dias.
  • Obteve receita bruta acima de R$ 142.798,50 em atividades rurais.
  • Que até 31/12/2018 tinham posses somando mais de R$ 300 mil.
  • Passou a ser residente no Brasil em qualquer mês.

2. Como fica a nova tabela do imposto de renda 2020?

O Presidente Jair Bolsonaro fez uma proposta para sua equipe econômica de reajuste da tabela do IRPF 2020. Porém, até agora nada foi decidido e o projeto ainda segue sob possível aprovação.

Por enquanto, os contribuintes ainda devem levar em consideração a tabela de IR de 2019, já que a do próximo ano ainda não foi confirmada.

Confira abaixo a tabela de imposto de renda válida para a declaração de IRPF 2020, até agora.

Base de Cálculo (R$) Alíquota (%) Dedução do IRPF (R$)
Até 22.847,76
De 22.847,77 até 33.919,80 7,5 1.713,58
De 33.919,81 até 45.012,60 15 4.257,57
De 45.012,61 até 55.976,16 22,5 7.633,51
Acima de 55.976,17 27,5 10.432,32

3. Fique atento a data de entrega

A Declaração de Imposto da Pessoa Física 2020 deve ser entregue entre 2 de março e 30 de abril de 2020, pela Internet.

Não deixe para a última hora! Se você não entregar no prazo, estará sujeito à multa de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso. Por isso, já vá atrás dos documentos necessários, que é o nosso próximo tópico.

4. Documentos necessários

Além dos documentos comuns, como CPF, RG, título de eleitor e outros, a Receita Federal exige alguns outros comprovantes:

  • Informe de rendimento do empregador, caso tenha tido contrato de trabalho em 2019.
  • Informe de rendimento do seu banco comercial.
  • Informe de rendimento de sua corretora, caso tenha algum investimento.
  • Comprovantes de despesas (escola, faculdade, consultas médicas e odontológicas, doações, etc)
  • Comprovantes de bens relevantes, como carros e imóveis.

É muito importante declarar todos os gastos e rendas corretamente. Isso evita problemas com a Receita, mas também é possível que você seja restituído por algum imposto pago a mais. É uma oportunidade de receber um dinheiro que você não esperava e que pode ser poupado ou investido.

5. Baixe o gerador da declaração

Vá ao site da Receita e baixe a versão mais recente do gerador. Você encontrará o programa IRPF 2020 juntamente com as instruções de instalação aqui.

Instale o programa, inicie e siga as orientações dele, preenchendo os campos solicitados com as informações que estão nos documentos que você separou.

6. Completo ou simplificado?

Você pode optar por dois tipos de declaração do Imposto de Renda: O Modelo Simplificado e o Completo. A diferença básica entre os dois é que o Completo é vantajoso quando o contribuinte tem o total de despesas superior ao limite proposto pela Receita.

Mas não se preocupe com isso, o próprio sistema te indicará a melhor opção para você.

7. Envie sua declaração

Com tudo devidamente preenchido, é só enviar a declaração do imposto de renda. Será pedido os seus dados bancários para receber a sua restituição do I.R, caso haja necessidade.

Se você estiver devendo para a Receita, o programa irá gerar uma DARF para ser pago.

Caso você tenha identificado algum erro depois de mandar a declaração, fique tranquilo! O programa permite retificar eventuais erros, basta informar o número do recibo, corrigir os erros e enviar.

8. Quem não precisa declarar o IRPF 2020?

Nem todo mundo deve declarar o imposto de renda. Existem os cidadãos que são isentos do imposto de renda, mas para isso também devem se encaixar em algumas características.

Além dos contribuintes que até 31 de dezembro de 2019 tiverem renda anual inferior a R$28.559,70, o segundo grupo de isentos refere-se a contribuintes que possuem alguma das doenças graves divulgadas pela Receita. De acordo com as informações as enfermidades isentas são:

  • Alienação mental.
  • Osteíte deformante.
  • Tuberculose ativa.
  • Hanseníase.
  • AIDS.
  • Neoplasia maligna (câncer).
  • Doença de Parkinson.
  • Paralisia Irreversível e Incapacitante.
  • Contaminação por radiação.
  • Cardiopatia grave.
  • Espondiloartrose anquilosante.
  • Fibrose Cística.
  • Cegueira (inclusive monocular).
  • Hepatopatia grave.
  • Esclerose Múltipla.
  • Nefropatia Grave.

Caso você se encaixe em um desses grupos saiba que está totalmente isento do declaração de IRPF 2020.

9. Como se preparar para o imposto de renda 2020?

Para evitar erros e possíveis riscos de cair na malha fina em 2020 o melhor a se fazer é já ir se preparando para a próxima declaração.

A parte mais importante é separar e organizar todos os documentos que vão ser declarados no IR de 2020. E sempre que houver uma nova movimentação financeira, apresente os recebidos e documentos para a Receita.

Procure alternativas para evitar a temida malha fina da Receita. Para isso, uma ótima opção são os serviços de análise da declaração de IRPF.

A análise de IRPF não faz a declaração do contribuinte, mas sim, analisa todos as informações presentes na declaração e alerta sobre os possíveis riscos de cair na malha fina. Além de dar dias para diminuir o imposto pago e aumentar a restituição.