Dia Internacional da Mulher: a influência feminina dentro e fora de casa

Se você for mulher, com certeza já recebeu parabéns, seguido de presentes como flores e chocolates no Dia Internacional da Mulher. A verdade é que este dia vai muito além de uma mera comemoração pela sua existência, o dia da mulher é uma homenagem e um lembrete às lutas de todas as mulheres por direitos iguais numa sociedade onde os homens eram considerados superiores.

A imagem feminina foi construída de diferentes maneiras ao longo da História. De deusas ou sacerdotisas nas sociedades do mundo antigo, dotadas de poder para influenciar a política, a guerra e o amor, as mulheres passaram a ser consideradas inferiores, tornando-se serviçais e submissas. 

O processo de revalorização da mulher se deu de forma lenta e trouxe novos paradigmas, em especial com o acúmulo de novas responsabilidades. Além de dedicarem-se às suas carreiras, investirem tempo e dinheiro em especializações múltiplas, elas têm papel preponderante na família e nas questões ligadas à vida pessoal.

Como empresa de crédito, a BOMSIM percebe como a mulher é uma influenciadora quando se trata de manter uma vida financeira regulada e saudável, por exemplo.  As mulheres são mais organizadas do que os homens num modo geral e mais propensas ao planejamento quando se trata de grandes compras. 

Uma pesquisa recente do Serasa mostra que a diferença entre homens e mulheres devedores é bem pequena, mas elas são a minoria (50,8% dos homens contra 49,2% das mulheres). Este dado é importante porque em nosso histórico as mulheres lideram na busca por alternativas financeiras. Dos clientes que nos procuraram no período do ano passado, 55,8% foram mulheres e 44,2% foram homens.

Isso mostra que apesar de eles terem mais dívidas, são elas que mais buscam soluções para sair delas. E esse é ponto que gostaríamos de ressaltar neste artigo.

Em um belíssimo texto, Heloísa Capelas, especialista em desenvolvimento do potencial humano, revela que existem inúmeras qualidades intrínsecas nas mulheres que os homens precisam batalhar muito para exercer, e quanto mais elas possuírem consciência sobre essas qualidades, mais oportunidades terão de utilizá-los a seu favor. Por outro lado, conhecer também suas próprias limitações dá a chance de modificá-las e adaptá-las.

A verdade é que, hoje em dia, é impossível imaginar um mundo onde as mulheres não sejam parte fundamental. No mundo dos negócios, por exemplo, a visão e as habilidades femininas são essenciais e indispensáveis para a construção de relações e realidades mais positivas. 

As mulheres agem, pensam e raciocinam diferente dos homens e isso tem conquistado o devido reconhecimento do seu potencial. Prova disso é que diversas pesquisas realizadas no país apontam o constante crescimento no número de mulheres empreendedoras e bem-sucedidas profissionalmente, sem contar o crescimento no número de mulheres em cargos de liderança dentro de suas empresas. 

Nós como empresa reconhecemos que, no mercado corporativo, prevalecem características masculinas relacionadas à competitividade e racionalidade. Não que as mulheres não possuam essas características, pelo contrário, porém são mais naturais e evidente nos homens. Também sabemos que em um mundo de transformação digital, para que as empresas cresçam proporcionando qualidade de vida para todos os colaboradores, é essencial que os líderes desenvolvam empatia, inteligência emocional e o espírito colaborativo, que são características femininas.

Perceber qualidades como essas (entendidas como naturalmente femininas) é uma oportunidade para que todos nós, homens e mulheres, possamos evoluir a sociedade em que vivemos. 

Mas além do mundo dos negócios, a mulher se destaca em casa como a grande administradora do lar. A jornada semanal das mulheres dura em média 3,1 horas a mais do que a dos homens considerando o tempo dedicado ao emprego e ao cuidado da casa e de seus moradores. A chamada dupla jornada feminina foi mostrada por um módulo especial da Pnad Contínua, divulgada pelo IBGE.

De acordo com a pesquisa, a jornada média feminina (incluídos o trabalho, os afazeres domésticos e o cuidado de pessoas como filhos) ocupa 53,3 horas semanais. A jornada masculina fica, na média, em 50,2 horas por semana. Somente aos afazeres domésticos e cuidados de pessoas, sem considerar o mercado de trabalho, as mulheres empregadas dedicavam em média 18,5 horas semanais para essas atividades, bem mais do que os homens (10,3 horas), segundo a pesquisa.

As mulheres também são a maioria na hora de pagar contas e contratar serviços, apesar da pequena diferença (72,9% contra 71,4%). Além disso, as mulheres são a maioria na hora da realização dos afazeres domésticos, no preparar e servir alimentos, em cuidar dos pets, da limpeza de roupas e sapatos e fazer compras. 

Ou seja, além de ser indispensável fora de casa, a mulher continua sendo a verdadeira dona do lar! É claro que essa dupla jornada é motivo de muito estresse, desgaste físico e mental. Mas, apesar disso, é incrível ver como as mulheres conseguem realizar todas essas coisas!

Apesar de muitos avanços, a luta de todas as mulheres por um mundo menos opressor e discriminatório ainda continua e não podemos resumir este importante dia a somente um simples abraço, flores e chocolate. É um dia de reflexão, de pensarmos em nossas palavras e atitudes e como deveríamos agir no decorrer de todo o ano. 

Nossos sinceros parabéns a todas as incríveis mulheres que, mesmo as vezes nadando contra a maré, fazem o mundo girar!