Poupança 2020: não vale a pena! Conheça 5 investimentos mais rentáveis

Poupança 2020, vale a pena?

No Brasil, temos uma cultura muito diferente quando se trata de investir dinheiro. Mesmo com a menor taxa Selic da história, muitos brasileiros ainda deixam seu dinheiro guardado na poupança.

Entretanto, poucas pessoas sabem que deixar seu dinheiro aplicado poupança não é nem de longe um bom negócio. Na realidade, devido a sua baixíssima rentabilidade, a poupança não pode mesmo nem ser considerada um investimento.

Mas é preciso parabenizar aqueles que foram disciplinados e conseguiram guardar dinheiro na poupança. Isso porque o Brasil é um país com uma população extremamente endividada, e poucos são os que conseguem ficar longe de dívidas e poupar. Portanto, apesar de a poupança não render mais tanto assim, aqueles que conseguiram guardar dinheiro estão na frente da maior parte da população.

Por que deixar o dinheiro na poupança não é uma boa escolha?

Apesar de muitos terem a concepção de que a poupança sempre possui rendimento de 0,5% a.m, essa não é uma regra para essa aplicação. Por isso, não acredite que a poupança em 2020 irá possuir esse rendimento.

A verdade é que as expectativas para a poupança em 2020 não são nada animadoras. Afinal, a nova queda esperada da taxa básica da economia poderá prejudicar ainda mais o rendimento da aplicação, que se quer cobrirá a inflação esperada para 2020, de 3,60%.

  • Poupança em 2020 com Selic em 4,5%: 4,5 x 0,7 = 3,15%;
  • Inflação prevista para 2020: 3,60%.
  • Rendimento real: 3,60 – 3,15 = -0,45%.

Como pode ser observado, o rendimento real esperado para a poupança em 2020 é negativo. Isto é, as previsões mostram que ele não será capaz de manter o poder de compra do dinheiro investido ao longo do tempo.

Mas a partir de agora, com a aplicação rendendo tão pouco, apenas poupar não será mais suficiente. Nesse sentido, será preciso agir e procurar novas modalidades de investimento. Assim, o dinheiro guardado poderá se multiplicar mais rápido e começar a gerar uma renda passiva. Isto é, uma renda que independe de trabalho, e que vêm exclusivamente de investimentos realizados.

Há inúmeros tipos de investimentos financeiros no Brasil, principalmente, para quem deseja aumentar sua renda mensal, ampliar o patrimônio, poupar para emergências, ou até planejar a aposentadoria.

O brasileiro não tem essa cultura de investir por dois motivos: primeiro que essas modalidades não são muito incentivadas; segundo que as pessoas sentem-se inseguras com os riscos que envolvem os investimentos.

Investimentos melhores que a poupança para 2020

Para garantir um rendimento melhor para o seu dinheiro guardado na poupança será preciso começar abrindo uma conta em uma corretora. Isso porque essas instituições possuem e oferecem investimentos melhores e com taxas menores que os bancos tradicionais.

Após abrir a conta, já será possível realizar uma transferência do dinheiro da poupança para a sua corretora. Então, você estará pronto para realizar investimentos melhores e mais rentáveis com o dinheiro da poupança em 2020.

Ações

Ações são basicamente uma modalidade de investimento que lhe dá direito à uma parte de propriedade de uma empresa. Essas ações são adquiridas por compra e funciona exatamente como quando você se torna sócio da companhia, tendo sua participação determinada pela quantidade de ações adquiridas.

Essas ações são negociadas nas Bolsas de Valores por intermédio de corretoras. O potencial de retorno é super alto, porém o risco também é grande.

Fundos de investimento

Como o próprio nome já diz, é um fundo de investimento feito por vários cotistas e investidores que compartilham seus recursos buscando aumentar os lucros e diminuir riscos.

Esses recursos são administrados por um gestor e a divisão dos lucros é feita conforme os investimentos dos cotistas. Sendo assim, o investidor não precisa se preocupar com as oscilações do mercado, como no caso da compra de ações.

Essa modalidade tem como vantagem ser simples e prática e menores riscos. Em contrapartida, é necessário pagar taxas de administração.

Títulos públicos

Títulos públicos são o tipo de investimento mais comum entre os brasileiros (os que costumam investir). Títulos públicos consiste em certificados de dívida. Eles são utilizados e emitidos pelo governo federal com o intuito de obter recursos para financiamento da dívida pública. Em outras palavras, é como se você emprestasse dinheiro ao governo.

Esses títulos podem ser adquiridos por meio de leilão ou diretamente com a Secretaria do Tesouro Nacional. É possível também contratar corretoras para fazer este trabalho por você.

Essa modalidade de investimento é a mais comum porque não tem perigo de você perder o dinheiro que investiu. Você sempre receberá mais ou o mesmo valor investido. Você pode optar por títulos de renda fixa, onde você já sabe previamente quanto renderá o seu dinheiro. Ou então pode escolher títulos em que o rendimento oscila conforme a taxa da inflação.

Debêntures

Na mesma “pegada” dos títulos públicos, existem os debêntures, títulos emitidos por empresas. É basicamente a mesma coisa, porém você está negociando com empresas privadas, logo o risco é maior, assim como o rendimento.

LCI, LCA, CDB e RDB

LCI (Letras de Crédito Imobiliário) e LCA (Letras de Crédito do Agronegócio) são dois tipos de investimento de renda fixa. Ele funciona muito parecido com os títulos públicos, mas são emitidos por bancos. No LCI, o seu dinheiro investido é revertido em empréstimo para o setor imobiliário e, no LCA, para o setor de agronegócio.

Apesar de não garantir renda tão alta quanto os demais investimentos, ainda assim o juros é bem maior do que a poupança e é uma modalidade excelente para quem procura investimento de curto e médio prazo.

Já no CDB (Certificado de Depósito Bancário) e o RDB (Recibo de Depósito Bancário), o “empréstimo” é feito direto ao banco e a renda também é fixa. A diferença entre os dois é de que no primeiro é possível negociar o vencimento deste empréstimo, já no RDB não. Ele é inegociável e intransferível.

Qual é o melhor tipo de investimento para mim?

Bom, a resposta pode ser meio óbvia, mas você deve escolher aquele que esteja alinhado ao seu perfil como investidor. Geralmente quanto maior os ganhos, maior o risco. Porém, ao diversificar os tipos de investimento, você consegue reduzir os riscos e aumentar o potencial de retorno.